Revista MultiAtual - ISSN 2675-4592

APLICATIVOS MÓVEIS PARA O ESTIMULO DA FALA EM CRIANÇAS COM TEA: UMA REVISÃO DA LITERATURA

💢 Artigo em PDF


Ieda Cicotti de Jesus

Pedagoga, acadêmica do curso de Pós-graduação lato sensu em Docência (IFMG - Campus Arcos). E-mail: iedacicotti@gmail.com

 

Rudvan Cicotti Alves de Jesus

Biólogo Licenciado, acadêmico do curso de Pós-graduação lato sensu em Docência (IFMG - Campus Arcos). E-mail: cicottijesus@gmail.com

 

Niltom Vieira Junior

Doutor em Engenharia, licenciado em Matemática, docente do curso de Pós-graduação lato sensu em Docência (IFMG - Campus Arcos). E-mail: niltom.vieira@ifmg.edu.br

 

 

RESUMO: O artigo em questão tratará de uma revisão da literatura dos principais materiais que falam sobre o uso da tecnologia no estimulo da fala de crianças com o transtorno do espectro do autismo (TEA), em especial o uso dos aplicativos móveis que foram desenvolvidos especialmente para ajudar tanto na aprendizagem, como no tratamento das crianças autistas, e assim também, alguns desses aplicativos serão analisados, discutido e comentado o seu valor, modo de criação, como ajuda os autistas e o que mais for considerado como relevante para sociedade. O trabalho destaca o seu valor metodológico em dois âmbitos um mostrando a importância da tecnologia no processo ensino aprendizagem, o qual não se pode mais ser negado nem no ensino regular e nem na educação especial, mostrando que a tecnologia é um caminho que deve ser seguido, nega-la pode levar as escolas a um erro que hoje deve ser evitado, pois, a tecnologia faz parte do dia a dia de todos os pais, alunos ou crianças e profissionais. O outro é a ferramenta dos aplicativos, os quais podem contribui na aprendizagem, na manutenção dos dados e no auxilio no tratamento das crianças com transporto do espectro do autismo (TEA). O trabalho levou em consideração a popularidade dos aplicativos os seus criadores, os locais de criação, o valor cobrado ou não, a praticidade em obtê-los, como também, em usá-los, as histórias contidas no processo de criação e os teóricos que indicaram, a ajuda no tratamento da criança com TEA, o auxílio para pais ou profissionais da fonoaudiologia. Todos ajudaram e contribuíram na fundamentação deste texto, e ao mesmo tempo, abrem uma ponte para trabalhos futuros, onde se possam ver esses aplicativos em prática junto aos alunos.

 

Palavras-chave: Aplicativos. Crianças. Tecnologia. Transtorno do espectro do autismo.

 

 

ABSTRACT: The article in question will deal with a literature review of the main materials that talk about the use of technology in stimulating the speech of children with autism spectrum disorder (ASD), especially the use of mobile applications that have been specially developed to help both in learning and in treating autistic children, and so too, some of these applications will be analyzed, discussed and commented on their value, way of creation, how it helps the autistic and whatever else is considered relevant to society. The work highlights its methodological value in two areas, one showing the importance of technology in the teaching-learning process, which can no longer be denied either in regular education or in special education, showing that technology is a path that must be followed , denying it can lead schools to an error that today should be avoided, as technology is part of the daily lives of all parents, students or children and professionals. The other is the application tool, which can contribute to learning, maintaining data and helping to treat children with autism spectrum transport (ASD). The work took into account the popularity of the applications by their creators, the places of creation, the amount charged or not, the practicality in obtaining them, as well as, in using them, the stories contained in the creation process and the theorists who indicated, help in the treatment of children with ASD, help for parents or speech-language pathologists. Everyone helped and contributed to the foundation of this text, and at the same time, they open a bridge for future work, where you can see these applications in practice with students.

 

Keywords: Applications. Children. Technology. Autism spectrum disorder.

 

 

INTRODUÇÃO

 

O transtorno do Espectro Autista (TEA) tem caracterizas associadas por ser um déficit de caráter qualitativo na expressão da linguagem e de interação social, o mesmo possui um padrão comportamental estereotipado, repetitivo, além de interesses específicos por parte da criança. Refere-se a um transtorno do neurodesenvolvimento, do qual acomete o desenvolvimento do aluno em áreas distintas, afetando principalmente as áreas sócias, comunicativas e comportamentais (AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION, 2014).

A primeira descrição referente ao autismo foi realizada por Kanner em 1943, o qual se baseou na observação comportamental de algumas crianças, as quais tinham em comum um desligamento da sociedade como característica maior, e também estereotipias motoras como andar na ponta dos pés ou balançar o corpo, e ainda idiossincrasias relacionadas ao uso da linguagem (MESQUITA; PEGORARO, 2013).

No inicio do desenvolvimento infantil, o TEA envolve quadros clínicos, estes podendo surgir no quadro comportamental da criança em um momento antes ao seu ingresso escolar (SILVA; SOARES; BENITEZ, 2020). Essas alterações podem acontecer por diversas explicações e os déficits acontecem em variados níveis, e esse conjunto de fatores dificulta e limita a aprendizagem do indivíduo. (PAULA; PEIXOTO, 2019).

A inclusão de crianças com TEA tem alavancado grandes desafios e dúvidas no ambiente escolar. Por tal motivo, é importante ressaltar que a criança com TEA possui o direito de ser educada em um ambiente de ensino regular, na qual a escola possa obter adaptações adequadas no processo de ensino-aprendizagem, possuindo com principal finalidade, de que todas elas possam ter uma educação de qualidade, considerando as suas necessidades especiais (ARAGÃO; BOTTENTUIT JUNIOR; ZAQUEU, 2019).

Existem diversos tipos de práticas pedagógicas e terapêuticas que possam reduzir e controlar os sintomas do TEA. Essa variabilidade de práticas, direcionadas para o tratamento do autismo, acontece por existir uma grande variedade e características distintas na apresentação dos casos clínicos (BRASIL, 2000).

Nesse sentindo, o uso das tecnologias é uma importante ferramenta, tanto de uso pessoal como educacional, servindo de auxilio para o desenvolvimento cognitivo de crianças com TEA. Como vantagens do uso de tecnologias no ensino, temos o acesso às informações em qualquer lugar de maneira mais rápida, flexível e em tempo real. Isso mostra a eficácia da tecnologia como um recurso para o atendimento das necessidades especifica de crianças com algum transtorno ou déficit, a exemplo, o TEA (ARAGÃO; BOTTENTUIT JUNIOR; ZAQUEU, 2019).

Os Celulares, smartphones e tablets, são os responsáveis por quebrarem as barreiras do tempo e espaço, já que através destes recursos, a aprendizagem pode acontecer a qualquer momento e a qualquer hora, podendo dinamizar e aperfeiçoar o processo de ensino (RODRIGUES, 2012).

Tendo em vista a necessidade de encontrar novas metodologias para desenvolver a criança com TEA e a utilizando da tecnologia como aliada desse processo. O artigo retrata o uso da tecnologia para o estimulo da fala em crianças com o transtorno do espectro do autismo (TEA), em especial o uso dos aplicativos. Alguns desses aplicativos serão analisados, sendo discutidos valores, modo de criação, e de como podem ajudar no desenvolvimento de seus usuários.

A base desta pesquisa considera materiais disposto na rede mundial de computadores e visa contribuir e auxiliar, os pais, professores e profissionais da fonoaudiologia.

 

2. TECNOLOGIA E APLICATIVO MÓVEIS

 

Desde o final do século XX, início do século XXI, que, a tecnologia se mostra ainda mais presente nos principais momentos da vida dos seres humanos. Na educação e no processo ensino aprendizagem, essa presença se torna maior e se faz necessária, de acordo com o desenvolvimento intelectual e social dos alunos. A tecnologia é uma ferramenta que deve estar sempre disponível para ajudar os professores, alunos e escolas.

Neste sentido, Koch (2013) afirma que, a tecnologia oferece recursos pelos quais o professor deve guiar seus educandos, ressaltando que não é a única forma de ensino, mas, não se deve deixar a tecnologia fora do processo ensino-aprendizagem, especialmente para auxiliar alunos com dificuldades específicas. Partindo dessa colocação, buscou-se compreender a situação dos aplicativos móveis para o estimulo da fala em crianças com TEA, revendo os principais materiais e os teóricos que estão disponíveis na internet. Esta possibilidade corrobora com o pensamento de Romero (2016), segundo o qual as tecnologias podem transformar o aprendizado de crianças com TEA, dando a eles a chance de aprender, criar, pensar e interagir auxiliando nas limitações já existentes e desenvolvendo as suas potencialidades.

Aragão, Bottentuit Júnior e Zaqueu (2019) dizem que a tecnologia pode aperfeiçoar a consistência do aprendizado do aluno com TEA, podendo também oferecer distintos recursos como; vídeos, mídias, sons, mapas virtuais, gráficos, simulações e animações, a internet, celulares e tablete e etc. Para Caetano, Tomé e Rosa Junior (2013), afirmam que as dificuldades e os déficits na aquisição e no desenvolvimento da fala, comumente diagnosticado em crianças ou alunos autistas, podem receber ajuda da tecnologia por meio software de computador, lembrando que, o acompanhamento de um fonoaudiólogo e outros profissionais da saúde é indispensável e necessário.

Considerando, portanto, os autores supracitados fica claro o valor de contribuição da tecnologia, principalmente com os aplicativos móveis, já que essas ferramentas mostram-se comum atualmente.

 

3. APLICATIVOS

 

Com o avanço da tecnologia e a popularização dos aplicativos moveis hoje se pode encontrar um vasto número de aplicativos, incluindo aqueles que são direcionados para o auxílio no desenvolvimento da fala como:

1-    Aprendendo Adjetivos

2-    Texto Speech

3-    ABC Autismo

4-    Autapp

5-    Aprendendo com Bill e Seus Amigos

6-    Falando Fotos: Autismo

7-    Lina Educa

8-    Livox

9-    Matraquinha

10-  Minha Rotina Especial

11-  Picto TEA

12-  Autismo Projeto Integrar

13-  Rotina Divertida

14-  Comunicaut

15-  Terapia da Linguagem

16-  Bubble Téa

17-  Jade Autism

18-  Autastico

19-  Help me Talk

20-  Autism Help

21-  TEO

22-  As Descorbertas de Albert.

 

Existem diversas outras ferramentas disponíveis nas lojas de aplicativos móveis, então, por facilitação, este artigo destacará os quatro primeiros que são: 1- Aprendendo Adjetivos; 2- Speech; 3- ABC Autismo; e 4- Autapp. Esta escolha levou em consideração a popularidade dos aplicativos, os locais de criação, o valor, a praticidade em obtê-los, as histórias e os teóricos que fundamentam essa pesquisa como um todo.

 

3.1. Aprendendo Adjetivo

 

Aprendendo adjetivo, é um aplicativo criado e desenvolvido por Bárbara Fernandes, fonoaudióloga que fala sobre o seu trabalho com o desenvolvimento de aplicativos moveis o qual tem contribuído muito no tratamento e na aquisição da fala de crianças com TEA. Bárbara teve essa ideia depois que ela começou a atender crianças autistas em seu consultório (CARVALHO, 2014).

Correlacionando com a visão de Carvalho (2014), o aplicativo “Aprendendo Adjetivo” aumenta o vocabulário, e as opções linguísticas, com ele, a criança diferencia as palavras contrárias e recebem estímulos sonoros para os acertos ou para os erros. O aplicativo ainda propicia aos pais e aos fonoaudiólogos, a opção de acompanhar o progresso da criança e a duração do tempo em uso, servindo como um banco de dados que pode ser acessado a disposição, tanto do responsável pela criança, como pelo profissional que trabalha aos cuidados para com a criança.

Segundo a idealizadora, a procura por seu app foi tão grande e inesperada, que em uma semana após o lançamento, o aplicativo figurou entre os dez aplicativos educativos mais vendidos do Itunes, em uma lista que possuía mais de três mil opções, a mesma ainda destaca que o sucesso surgiu também com pais e crianças que não possuíam nenhum distúrbio. 

Leite (2012) atesta que esta ferramenta foi considerada destaque no (20º) de Congresso Brasileiro de Fonoaudiologia. O “Aprendendo adjetivo” é totalmente em português, acontece favorece a aprendizagem principalmente através da visão, audição e tato, onde a criança pode receber orientação ou ela mesma pode manusear sozinha seus conteúdos, pois a ferramenta está facilmente ligada ao desenvolvimento educativo e ao mundo da criança com TEA.

Segundo Carvalho (2014), este aplicativo custa R$ 19,99, um preço que, pode ser dito como relativamente baixo se levado em consideração a qualidade, os benefícios e a comodidade, considerando principalmente que os dados que ficaram armazenados para uma análise futura pela profissional que trata das crianças.

 

3.2. Speech

 

O aplicativo (SpeeCH) é outro app foi desenvolvido por uma equipe de pesquisadores do IFMG Campus Formiga, Caetano, Tomé e Rosa Junior (2013),  propõem o aplicativo (Speech) como uma ferramenta de desenvolvimento da fala a partir da conversão de textos para áudio, de forma automática, pelo próprio aplicativo. Além disso, permite variações de velocidade, podendo ser repetidas, com uma leitura natural de palavra ou frases. Desenvolvido para o sistema operacional Android, e com ajuda da tecnologia, tem o (texto speech), a ideia principal é associar imagens e textos, ambos podendo ser definidos e ampliados pelo usuário, podendo até inserir imagens do dia-a-dia da criança, podendo ser estimulada de acordo com a orientação de um profissional como a fonoaudiologia, tornando o seu aprendizado ou o seu tratamento em algo do seu cotidiano de vida.

Este aplicativo pode ser utilizado sem conexão com a internet e outro ponto positivo é a sua gratuidade, já que pode ser facilmente baixado na loja Google play e ainda conta com uma plataforma online onde você pode ser orientado através de um manual com atualização.

  O Instituto Federal de Minas Gerais o Campus Formiga destaca que, o uso do aplicativo é simples e muito intuitivo, possibilitando que, qualquer criança de faixa etária baixa, possa fazer uso, com um simples toque na tela.

 

3.3. ABC Autismo

 

Este aplicativo foi selecionado pela facilidade de encontra-lo, em função da sua popularidade, pois, o mesmo é um dos aplicativos mais conhecido no meio de atuação entre a população interessada no tema. O site Agência Brasil do Rio Janeiro em (2015) já, a bastante tempo, informava que o aplicativo ABC Autismo dezenas de milhares de downloads. A página ainda coloca que o app auxilia crianças e adolescentes autistas com dificuldades na aprendizagem da fala.

ABC Autismo, segundo Aragão, Bottentuit Júnior e Zaqueu (2019), foi desenvolvido pelo Instituto Federal de Alagoas em colaboração com a Associação dos Amigos Autistas. A estrutura do aplicativo é baseada em quatro níveis de dificuldades, assim, a criança pode alterar figuras, formas, letras e sílabas, como também pode formar palavras de acordo com sua compreensão. 

Farias, Silva e Cunha (2014), em experiências praticas com o aplicativo ABC Autismo, consideram que o desempenho das crianças foi considerado satisfatório, e que as quantidades de erros são mínimas, podendo até passar despercebidas, ou não ser levadas em consideração em um contexto geral.

Aragão, Bottentuit Júnior e Zaqueu (2019), contudo reforçam a importancia de que sempre haja acompanhamento profissional especializado, pois, aplicativos devem ser considerados ferramentas complementares e auxiliares no tratamento e desenvolvimento das crianças. O ABC Autismo também é gratuito e pode ser baixado para o sistema Android na loja do Google Play.

 

3.4. Autapp

 

O Autapp possui diversos comentários positivos na lista de aplicativos para aquisição de linguagem, letramento ou tratamento de crianças com TEA. De acordo com Aragão, Bottentuit Júnior e Zaqueu (2019), trata-se de uma ferramenta gratuita e de uso bastante simples, desenvolvido por um projeto de engenharia da computação da faculdade SATC.

Este projeto buscou contribui de forma divertida para a aprendizagem das crianças com TEA, desenvolvendo também as questões motoras, reconhecendo cores e formas. O destaque principal do aplicativo é que ele apresenta um personagem principal chamado Erick, o qual, busca estimular as crianças com frases que valorizam questões relacionadas aos sentimentos, as emoções e a interação das crianças com TEA, frases do tipo “o que você está sentido? ” e “vamos  brincar?”. O Autapp ainda conta com aspectos visuais e de linguagem bastante chamativos.

Castelo Branco (2019) define o aplicativo como uma ferramenta que busca ensinar com diversão, a qual incentiva as crianças a reconhecer suas emoções e a emoção do outro que está a sua volta, tentando diminuir o isolamento social, comum em algumas crianças com TEA.

 

4. CONSIDERAÇÕES FINAIS

 

Esse trabalho apresentou uma breve revisão sobre a disponibilidade de aplicativos móveis que, estimulam e contribuem para aprendizagem de crianças com TEA. Algumas de suas características fundamentais foram apresentadas ressalvando-se, porém, a importância do acompanhamento especializado para o seu uso e acompanhamento.

De toda forma, valoriza-se o desenvolvimento de tais ferramentas, especialmente aquelas com acesso facilitado a toda a população, pois, trata-se de um dos usos mais importantes da tecnologia, àquela com pressupostos sociais.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

 

AGENCIA BRASIL. Aplicativo educacional ABC Autismo tem quase 40 mil downloads. Rio de Janeiro, 2015. Disponível em: <https://agenciabrasil.ebc.com.br/pesquisa-e-inovacao/noticia/2015-11/aplicativo-educacional-abc-autismo-tem-quase-40-mil-downloads>. Acesso em: 01 de Out. de 2020.

 

AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION. Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais. DSM-5. American Psychiatric Association. Tradução: NASCIMENTO, M. I. C.et al.; Revisão Técnica: CORDIOLI, A. V. et al.  5ª. ed. Porto Alegre: Artmed, 2014.

 

ARAGÃO, M. C. M.; BOTTENTUIT JÚNIOR, J. B.; ZAQUEU, L. C. Costa. Uso de aplicativos para auxiliar no desenvolvimento de crianças com transtorno do espectro autista. Olhares & Trilhas. Uberlândia. vol. 21, n. 1. Jan/abril. 2019

 

BRASIL. Autismo: orientação para os pais. Casa do Autista - Brasília: Ministério da Saúde, 2000.

 

CAETANO, S. C.; TOMÉ, B. O.; ROSA JUNIOR, C. B. Text to Speech: tecnologia para desenvolvimento da fala em crianças com necessidades especiais. Seminário de iniciação cientifica IFMG. Instituto Federal de Minas Gerais. 2013. Disponível em: <https://www.ifmg.edu.br/sic/edicoes-anteriores/resumos-2015/text-to-speech-tecnologia-para-desenvolvimento-da-fala-em-criancas-com-necessidades-especiais.pdf>. Acesso em: 30 de Set. de 2020.

 

CARVALHO, V. Fonoaudióloga cria aplicativos para crianças autistas e com dificuldade na fala. Razões para acreditar. .2014. Disponível em: <https://razoesparaacreditar.com/fonoaudiologa-cria-aplicativos-para-criancas-autistas/> Acesso em: 29 de Set. de 2020.

 

CASTELO BRANCO, K. S. Avaliação de aplicativos educacionais desenvolvidos para o ensino de crianças com transtorno do espectro autista. Monografia de graduação apresentado ao apresentado ao Curso de Graduação em Engenharia de Software da Universidade Federal do Ceará. Russas, 2019. Disponível em: <http://repositorio.ufc.br/bitstream/riufc/50976/1/2019_tcc_kscastelobranco.pdf> Acesso em: 01 de Out. de 2020.

 

FARIAS, E. B.; SILVA, L. W. C.; CUNHA, M. X. C. ABC AUTISMO: Um aplicativo móvel para auxiliar na alfabetização de crianças com autismo baseado no Programa TEACCH. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO (SBSI), 10. , 2014, Londrina. Anais do X Simpósio Brasileiro de Sistemas de Informação. Porto Alegre: Sociedade Brasileira de Computação, 2014 . p. 458-469.

 

KOCH, M. Z. As tecnologias no cotidiano escolar: uma ferramenta facilitadora no processo ensino-aprendizagem. Monografia de Especialização apresentado ao programa de Pós-Graduação à Distância em Gestão Educacional da Universidade Federal de Santa Maria. Rio Grande do Sul. 2013. Disponível em: <https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/498/Koch_Marlene_Zimmermann.pdf?sequence=1&isAllowed=y>. Acesso em: 22 de Set. de 2020.

 

LEITE, C. Aplicativos ajudam crianças com autismo, distúrbio de fala e linguagem. Casa Saudável. 2012. Disponível em: <https://blogs.ne10.uol.com.br/casasaudavel/2012/11/01/aplicativos-ajudam-criancas-com-disturbios-de-fala-e-linguagem/>. Acesso em: 29 de Set. de 2020.

 

MESQUITA, Wanessa Santos; PEGORARO, Renata Fabiana. Diagnóstico e tratamento do transtorno autístico em publicações brasileiras: revisão de literatura. Journal Of The Health Sciences Institute, v. 3, n. 31, p. 324-329, 2013.

 

PAULA, J. B.; PEIXOTO, M. F. A Inclusão do Aluno com Autismo na Educação Infantil: Desafios e Possibilidades. Cadernos da Pedagogia, v. 13, n. 26, p. 31-45, Out/Dez 2019.

 

RODRIGUES, C. Universidade Trocam Livros por Tablets em Cursos a Distancia. Portal Aprendiz. 2012. Disponível em: <https://portal.aprendiz.uol.com.br/arquivo/2012/05/02/universidades-trocam-livros-por-tablets-em-cursos-a-distancia/> Acesso em: 12 de Out. de 2020.

 

ROMERO, P. O aluno autista: avaliação, inclusão e mediação. Prefácio de Eugênio Cunha. Rio de Janeiro: Wak Editora, 2016.

 

SILVA, M. D.; SOARES, A. C. B.; BENITEZ, P. Software mTEA: do Desenho Computacional à Aplicação por Profissionais com Estudantes com Autismo. Revista Brasileira de Educação Especial,  Bauru ,  v. 26, n. 1, p. 51-68,  Mar.  2020.



Recebido em 28 de outubro de 2020
Publicado em 18 de dezembro de 2020


Como citar este artigo (ABNT)

JESUS, Ieda Cicotti de. JESUS, Rudvan Cicotti Alves de. VIEIRA JUNIOR, Niltom. Aplicativos Móveis para o Estimulo da Fala em Crianças com TEA: Uma Revisão da Literatura. Revista MultiAtual, v. 1, n. 8, 18 de dezembro de 2020. Disponível em: https://www.multiatual.com.br/2020/12/aplicativos-moveis-para-o-estimulo-da.html
APLICATIVOS MÓVEIS PARA O ESTIMULO DA FALA EM CRIANÇAS COM TEA: UMA REVISÃO DA LITERATURA APLICATIVOS MÓVEIS PARA O ESTIMULO DA FALA EM CRIANÇAS COM TEA: UMA REVISÃO DA LITERATURA Reviewed by Revista MultiAtual on dezembro 04, 2020 Rating: 5
Tecnologia do Blogger.